26 janeiro 2008

DOCUMENTÁRIO SOBRE EVALDO BRAGA REVELA, ENTRE OUTROS DETALHES DA VIDA DO ÍDOLO, QUE O ARTISTA CONVIVIA COM SUA FAMÍLIA.



ELE NÃO SAIU DO LIXO, COMO MUITOS ACREDITARAM.

Foi por imposição da gravadora Phonogram, onde o artista gravava pelo selo Polydor, que uma falsa história triste, repleta de tragédia, foi montada para sensibilizar o público e fazer de Evaldo Braga um dos maiores vendedores de discos de todos os tempos no Brasil. Para o grande público, e para a mídia também, o máximo que se sabia sobre o ídolo negro, era que ele tinha sido abandonado numa lata de lixo. Os produtores do documentário ouviram dezenas de pessoas, dentre elas estão fãs anônimos, amigos, colegas, críticos de música, e pasmem, um irmão de Evaldo Braga.
É muito comum, a gravadora montar um perfil para o artista e depois trabalhar como se aquilo fosse a verdade absoluta, pelo menos para o público, vide Sidney Magal, lançado como cigano, tendo até hoje quem acredite na fábula. Magal também foi lançado pela Phonogram, fruto da imaginação de Paulo Coelho (ele mesmo) e Roberto Livi, calouro da Jovem Guarda que conseguiu gravar alguns discos como cantor.
Depois de ouvir o irmão de Evaldo confirmar que o cantor morava com o pai e os irmãos, fico envergonhado pelas dezenas de matérias escritas após a morte do cantor, conjecturas mil acerca dos direitos, do destino do dinheiro proveniente das vendas astronômicas, da infelicidade de não poder conhecer seus pais, da solidão de Evaldo. Me revolta saber que a equipe da Phonogram, na época, leu um pungente artigo, escrito por Arthur da Távola na última página da revista Amiga, e não teve a sensibilidade de contar a verdade em seguida. Segundo o irmão do cantor, a família era proibida de falar no assunto, pior, tinha que concordar com a história da gravadora.
O mercado fonográfico só respeita o lucro do artista, não importa se o viés que os une é o carisma dele, ou o público, antes, suga até a última gota de sangue, depois qualquer lugar é valido para agonizar. Basta lembrar dos grandes vendedores de discos, do começo da década de 70, olhar para o passado e constatar como eles vivem hoje. São rejeitados pelas mesmas gravadoras, que preferem lançar coletâneas de sucessos, mesmo que não tenha o mínimo de qualidade, afinal, o público já conhece a música, pra que gastar dinheiro com qualidade, se eles são bregas, cafonas, e estão fora da mídia. Muitos artistas, sequer são avisados do lançamento de coletâneas da sua obra. Como se não bastasse a denúncia de roubo nos direitos de intérprete e de autor, são lesados ainda com as histórias que montam a seu respeito, passando por cima da honra e do direito do consumidor, que compra caju com sabor de manga.

Assista aos vídeos, depois deixe sua mensagem. Vale a pena assistir do começo ao fim. Ótima edição, excelente fio condutor com personagens apaixonantes. Parabéns pela iniciativa dos diretores de trazer a tona, a história do ídolo negro que sacudiu o mercado fonográfico, e até hoje encanta com sua voz possante e tema triste.
A VISÃO DA PRODUTORA NATORA PRODUÇÕES
"Fazer o melhor com o que se tem. Ênfase na ação como parte principal do processo. É fazer fazendo. A Natora Produções é uma produtora multimídia e busca uma nova forma de se produzir e sobre o que produzir. Acreditamos nas idéias e duvidamos do chamado momento certo para se fazer. Somos fatalistas e sabemos que a morte é a única certeza da vida. Nossa filosofia parte do conceito mercadológico do cash from chaos, introduzido no mundo dos negócios por Malcom McLaren, empresário dos Sex Pistols, e na ética punk/hip hop do faça você mesmo baseada na "brodagem". Esse conceito foi retirado da página do movimento Manguebit."

Um pedido aos leitores. Deixem recados no final do post, eles terão serventia.

10 comentários:

Anônimo disse...

Interesante aesta matéria sobre o grande Evaldo Braga. Restam duas perguntas: com fazer para assistir este documentário? Com estas revelações,um livro como "Eu Não Sou Cachorro,Não" terá que ser corrigido pelo seu autor, Paulo César? E olha o Paulo César entrevistou o Osmar Navarro, que reafirmou para o autor a triste história da vida do Evaldo.

Josué Ribeiro disse...

Isso acontece, o livro do Paulo narrou a história pública do Evaldo Braga, a história que o povo conhece. Não vejo necessidade do Paulo ter que mudar o texto no livro ou ediçao posterior. Quanto ao vídeo, como assistir? é do play. Grande abraço.
Josué

Tibério disse...

Esse documentario é 1000!!!
sugeri que o canal brasil passase!!!!!!!!
viva a verdadeira musica popular brasileira!!!!!!!!!!

Maria Lima disse...

Você estar de parabéns, pois tenho 47 anos de idade e sou fã de Evaldo Braga pois acho as músicas dele de um conteúdo muito bom. Não lembro muito bem da morte dele pois tinha só mais ou menos 11 anos na época. Gostaria muito que a verdadeira história da vida dele fosse contada em algum canal de televisão para todo o Brasil, para que pessoas como eu e minha família pudéssimos apreciar e voltar a ouvir aquelas músicas bonitas novamente. Caro amigo torno a repetir "você estar de parabéns". Muito obrigada por esta oportunidade. Gostaria de saber como faço para obter os cd's originais dele.

Josué Ribeiro disse...

Muito obrigado Maria Lima. Fico feliz com seu email, isso me dá forças para continuar fazendo o blog. Acredito que os csd de Evaldo, originais, só podem ser encontrados nas lojas, eu já comprei na americana, e pela internet. abraços

Adalberto disse...

Fico até pasmado quando vejo pessoas a falar dos nossos ídolos brasileiro que contribuíram com tantas músicas boas e hoje quase não se fala. Hoje resta poucas letras e melodias, o que se vez são
duplas sertanejas muito abaixa do nível das grandes melodias do passado.
Adalberto
Aracaju,07/01/2009

Rosinha de imperatriz-ma disse...

pÔXA CARA VC TAH DE PARABENS MESMO!
EU AINDA ADORO A MUSICA DO eVALDO E CONTINUO LAMENTANDO A MORTE DELE, TAO NOVO AINDA E FAZENDO AKELE SUCESSO TODO!!!!!!!!!
CONTINUE COM ESSE BLOG LINDUUUUUUUUU!!!!!!!!!!!!!!!

rosinha de Imperatriz-ma disse...

naum sei se vc lembra das musicas da dupla certaneja Duo Ciriema sou louca pra encontrar algum disco,tipo akele q tem colcha de retalho.
se souber de alguma coisa me avisa migo.
Parabens novamente pelo blor maravilhoso!!!!!!!!vc realmente e antenado!!!!!!

ary.nmaia@gmail.com disse...

Uma das vozes que já escutei. Evaldo Braga não teve tempo de aproveitar o sucesso que fez. Morreu naquele trágico acidente automobilístico em 31 de janeiro de 1973. Seu seguidor Carlos Alexandre que até gravou músicas de Evaldo Braga tembém teve o mesmo destino em 30 de janeiro de 1989 muita coincidencia.

Att. Ary N. Maia. São Paulo SP.

ary disse...

Voce foi feliz no seu comentário Josue Ribeiro. Concordo plenamento com você. Nota zero p/ essas gravaroras. O nosso pais é rico em talentos. Tem tanto artista por aí esquecido,fora da mídia, Eu que sou
colecionador é que sei qunnto é difícil encontrar obras. Salve, salves os sebos da vida que ainda tem alguns vinis. Eu pergumto se ainda vende o vinil porque não lançar em CDS todas as obras de tanta gente boa. Só encontro as famosas coletaneas. Burrice das gravadoras.

Att. Ary n Maia.

Relembre a estreia de Ricardo Braga e a opiniäo de Roberto Carlos em 28/05/1978

A estreia da cantora Katia em 1978 cantando Tão So

Mate a saudade de Nara Leao cantando Além do Horizonte em 1978

1 em cada 5 Brasileiro preferia o THE FEVERS 26/11/1978

Elizangela canta Pertinho de Você no Fantástico em 1978

Glória Pires e Lauro Corona cantam Joao e Maria

CLA BRASIL E MARINÊS

DOCUMENTÁRIO SOBRE EVALDO BRAGA / 3 PARTES - ASSISTA NA ÍNTEGRA

Web Counters
PopularContacts.com

http://