19 março 2008

PAULO SÉRGIO. A TRAJETÓRIA DE UM ÍDOLO DA MÚSICA POPULAR BRASILEIRA



Quando surgiu em 1967, ninguém podia calcular seus feitos e a indefectível contribuição que daria mais tarde para a história da música popular do Brasil. Nem mesmo o sucesso coroado pela fama inabalável _fama esta, responsável direta pelas polêmicas que ajudaram a delinear o perfil do astro_ pôde realmente abalizar o lugar que Paulo Sérgio ocuparia no pódio do reconhecimento profissional. Do início tímido e recatado, para as capas de revistas, e matérias mil. Sempre inserido no epicentro da notícia, sua vida foi notada, comentada e até mesmo julgada. Paulo Sérgio ainda era muito jovem quando foi jogado na cova dos leões. Empenhado em construir uma história limpa, aquém das comparações, traçou um caminho que ele mesmo achou melhor para trilhar. Se ao lado dele existia um rei ferido pela ameaça do trono _que poderia ser tomado a qualquer momento_ logo abaixo existia um público que lhe compreendia lutando a todo custo pelo brilho da sua estrela, admiradores que compareciam em massa as portas de entrada das emissoras de rádio e TV. Os jornalistas encontraram a pauta que procuravam e que por muitos anos renderiam dividendos aos cofres das editoras. Colocar dois ídolos em xeque, um contra o outro, passando por cima de sentimentos e lutas, foi o requinte máximo encontrado para semanalmente, terem o que falar de Roberto Carlos e Paulo Sérgio.

POR QUE TODA MATÉRIA SOBRE PAULO SÉRGIO CONSTA O NOME DE ROBERTO CARLOS?
Primeiro, porque o resultado da trama articulada foi além do que os autores premeditaram. Segundo, Paulo Sérgio, mesmo colocado como o propenso perdedor, saiu vitorioso da guerra. Constatando o tempo de ausência desde a sua precoce morte, há quase três décadas, seu nome continua vivo e ainda é o mais citado pela boca dos apaixonados por romantismo em música brasileira. Ainda tem o fato de que Paulo Sérgio nunca procurou a mídia para se defender da acusação de imitador de Roberto, quando tinha oportunidade para falar, falava do seu trabalho. Roberto Carlos não teria saído tão fortalecido do movimento Jovem Guarda, se não houvesse um outro ídolo lhe fazendo frente e tocando insistentemente no rádio. Foi preciso existir um intérprete, lamentavelmente com timbre de voz levemente parecido com o timbre vocal de Roberto, para que ele continuasse na mira da mídia. Enquanto isso, Paulo Sérgio dava continuidade na carreira sem se preocupar com Roberto e com o que ele fazia profissionalmente. No meio da guerra que a mídia insistiu para que existisse, manifestou-se e veio a tona, milhões de pessoas que preferiam Paulo Sérgio a Roberto Carlos. Enquanto Roberto se sentia rei, pousando como tal, fazendo-se de difícil, dando poucas entrevistas, enfim, seguindo a meta previamente traçada por terceiros, Paulo Sérgio aparecia ao lado do homem mais famoso do Brasil, o empresário e apresentador Sílvio Santos. Era o maior galã da atração Os Galã Cantam e Dançam, pousando e dançando com fãs. Paulo Sérgio não era o único galã do programa, tinha ainda Antonio Marcos, Cláudio Fontana e outros, mas até ali, longe do Roberto, criaram uma confusão envolvendo o nome dos dois. Fazia parte também, do programa, o cantor Wanderley Cardoso. Corria o ano de 69 quando uma avalanche de matéria foi publicada, envolvendo o nome de Roberto Carlos e Paulo Sérgio. De repente Antonio Marcos e Wanderley se afastaram de Paulo Sérgio, os dois primeiros eram empresariados por Marcos Lázaro, empresário de RC, o que a mídia tratou afirmar que os dois estavam seguindo ordens de Roberto. Para piorar a situação, pessoas da produção do programa, disseram que durante o concurso O Galã Mais Querido, Paulo Sergio, que seria o vencedor de acordo com os votos recebidos, teve que aceitar a mudança sugerida pela produção, que atendendo o pedido de Roberto Carlos que entregaria a faixa ao vencedor, preferiu coroar Wanderley Cardoso. A produção acatou diante da ameaça de Roberto, que não compareceria, caso tivesse que pôr a faixa em Paulo Sérgio. E assim foi feito.

O SITE DE PAULO SERGIO ESTÁ DENTRE OS MAIS VISITADOS
O site tem pouco tempo de vida, mas já é seguramente a principal fonte de informação sobre a vida, a obra e a carreira de Paulo Sérgio. Gilberto Ivo não mede esforços para manter bem informado e atualizado, os milhares de visitantes do site. Atencioso com a obra do ídolo, Gilberto vem conquistando credibilidade nos meios de comunicação, não somente na rede, mas também na imprensa geral. O site tem servido de fonte para radialistas, jornalistas e pesquisadores interessados em conhecer a trajetória de Paulo Sérgio. Atualmente o foco está para uma entrevista sincera e transparente, que Raquel Telles Eugênio de Macedo, ex-esposa de Paulo Sérgio, mãe de Rodrigo Macedo, filho do cantor, deu ao site. Para quem é afoito, e quer ir direto ao Paulo Sérgio, tem um vídeo novo, onde o cantor aparece cantando Índia no SBT. Vale conferir, vale recomendar e, vale principalmente incentivar pelo trabalho indispensável, limpo e transparente de Gilberto Ivo.




2 comentários:

Thiago de Góes disse...

E também diziam que Roberto Carlos é quem imitava João Gilberto, né?

Escrevi um post sobre Sidney Magal. Você vai gostar de ler. Vai lá.

marcos disse...

Parabens pelo blog. Gostaria de pedir um favor ao dono do Blog. Se vc tiver conhecimento de algum endereço na net ou de onde acho esse Cd com pot-porri do cantor Ricardo Braga. peço a gentileza de me passar , pois procuro a muito tempo esse album pra presentiar meu pai.
Agradeço pelo atenção .

Relembre a estreia de Ricardo Braga e a opiniäo de Roberto Carlos em 28/05/1978

A estreia da cantora Katia em 1978 cantando Tão So

Mate a saudade de Nara Leao cantando Além do Horizonte em 1978

1 em cada 5 Brasileiro preferia o THE FEVERS 26/11/1978

Elizangela canta Pertinho de Você no Fantástico em 1978

Glória Pires e Lauro Corona cantam Joao e Maria

CLA BRASIL E MARINÊS

DOCUMENTÁRIO SOBRE EVALDO BRAGA / 3 PARTES - ASSISTA NA ÍNTEGRA

Web Counters
PopularContacts.com

http://