20 novembro 2007

FOTOS, FLORES E FÃS, ORNAM A SEPULTURA DE PAULO SÉRGIO


QUANDO A SAUDADE APERTAR... VISITE O SITE DO CANTOR PAULO SÉRGIO

Paulo Sérgio estaria com 63 anos se não tivesse morrido prematuramente em julho de 1980. Desde o primeiro ano de sua morte, os fãs marcam presença no túmulo do cantor, no cemitério do Caju, no Rio de Janeiro. Este ano, a fim de transmitir o fato aos leitores do blog, resolvi acompanhar de perto a visitação, que há 27 anos desperta curiosidade acerca da fama crescente de Paulo Sérgio. O ano é importante para os fãs do artista, principalmente pela estréia do site em sua homenagem, produzido por Gilberto Ivo, fã inconteste do cantor. A data, naturalmente marcada pela tristeza dos parentes que lamentam a falta de entes queridos, provoca verdadeira romaria aos cemitérios de todo o país, o movimento só não é ainda maior pelo fato do Brasil, estatisticamente apresentar fatia relevante de evangélicos na sua população.
Quanto aos fãs de Paulo Sérgio, não basta guardar as lembranças do cantor, apenas na memória, é preciso cultivar o nome e a presença do ídolo dentre os vivos. Quem chegar ao cemitério e perguntar pelo túmulo do cantor, facilmente será informado, pois todos os funcionários estão acostumados com a procura freqüente dos fãs. Se por acaso alguém resolver encontrar o túmulo por conta própria, também será fácil, pois de longe se ouve as músicas de Paulo Sérgio.

Flores, pôsteres, fãs, flashes, equipes de tevê, e muita gente reunida, indicam que o lugar abriga os restos mortais de alguém muito importante. O aparelho portátil tocando ininterruptamente o cd, não deixa dúvidas de que o cultuado em questão, é o cantor Paulo Sérgio de Macedo, morto há 27 anos, enterrado numa quarta feira de julho, diante de milhares de fãs.
Paulo Sérgio nunca saberá que fui ao cemitério três vezes na vida em situações e locais distintos, mesmo tendo 36 anos de idade, a mesma com a qual ele faleceu, também não ficará sabendo que o Beijoqueiro português, enfrentou a fúria dos policiais para lhe dá o primeiro e último beijo, no dia do seu sepultamento. São tantas, as coisas que foram feitas para ele e que nunca saberá, como por exemplo, a devoção da fã e amiga Adelina, que anualmente sai de São Paulo para o Rio, somente para enfeitar o seu túmulo e render-lhe homenagem. Não sabe que seu admirador Ellvis Antonyo, de tão fã, ficou parecido com ele. Não sabe que sua filha Jaqueline, recebe com afeto todos os anos, os fãs do pai tão querido. Paulo Sergio não pôde ouvir o que eu ouvi de Marlene, mãe da sua filha: “Parece que meu coração ficou fechado. Nunca mais vou amar assim outra pessoa.” Disse enquanto ouvia uma canção na voz de Paulo Sérgio, do rádio sobre a lápide. Como Paulo Sérgio reagiria diante de Pedro, um universitário em plena pesquisa sobre os cantores românticos, no centro da peregrinação ao seu túmulo? Gostaria de saber a opinião de Paulo, sobre a atitude do fã emocionado, sacando da mochila uma garrafa de cachaça em miniatura, e sorvendo o líquido em apenas três goles. Presenciei muito mais gestos e atitudes, durante os 40 minutos em que estive no local. Minhas perguntas ficarão sem respostas, são conjecturas concernentes a data que evoca emoções estranhas, mas de uma coisa eu tenho certeza, se Paulo Sérgio fosse vivo, teria um grande motivo para se alegrar e comemorar com entusiasmo, o lançamento do seu site, que de agora em diante, coloca sua obra em contato com o mundo.


Jackie, filha de Paulo Sérgio, recebe pessoalmente os visitantes do local.

Um comentário:

Helena disse...

Bom dia Josué!
Sou cineasta documentarista e estou articulando a realização de um documentário inspirado a partir da leitura do livro de Paulo César de Araújo, “Eu não sou cachorro, não”, que você deve conhecer.
Estamos começando a buscar as condições para a realização desse projeto e eu gostaria poder trocar idéias pessoalmente ou por telefone com você, que é fã e profundo conhecedor da vida e da obra dos cantores e compositores ditos bregas, cafonas, românticos, ultrpopulares (como queiram chamar).
Fico aguardando seu retorno no meu email com um número de telefone e um horário conveniente para meu contato.
Desde já, muito obrigada pela atenção,
Helena Tassara

Relembre a estreia de Ricardo Braga e a opiniäo de Roberto Carlos em 28/05/1978

A estreia da cantora Katia em 1978 cantando Tão So

Mate a saudade de Nara Leao cantando Além do Horizonte em 1978

1 em cada 5 Brasileiro preferia o THE FEVERS 26/11/1978

Elizangela canta Pertinho de Você no Fantástico em 1978

Glória Pires e Lauro Corona cantam Joao e Maria

CLA BRASIL E MARINÊS

DOCUMENTÁRIO SOBRE EVALDO BRAGA / 3 PARTES - ASSISTA NA ÍNTEGRA

Web Counters
PopularContacts.com

http://