04 setembro 2008

MORRE O HOMEM E FICA O MITO WALDIK SORIANO, O ÚLTIMO CAFONA ORIGINAL.

O CANTOR ERA DA MESMA ESCOLA QUE FORMOU O PALHAÇO CHACRINHA, OU SEJA, AUTÊNTICO ALUNO DA ESCOLA DA VIDA.

Ele nasceu Eurípedes Waldik Soriano, no Sertão da Bahia, num lugarejo chamado Brejinho das Ametistas, Município de Caitité. O dia, uma data muito importante para a História do Brasil, 13 de maio, quanto ao ano, foi 1933. Os pais do menino atendiam por Eudóxia Evangelista Garcia e Manuel Sebastião Soriano. Waldik, como ele mesmo gostava de dizer, foi criado comendo mingau de farinha e rapadura.

NA BIOGRAFIA O CANTOR DEFINIU O SEU PÚBLICO
"Quando você vir uma pessoa chorando copiosamente, homem ou mulher, principalmente no meio da rua, ou em lugar público, sem receios de mostrar seus sentimentos, sem frustrações. Esta pessoa tranqüilamente é minha admiradora, minha amiga”.

"Quando você vir um cara saborear uma feijoada, ou uma buchada, dobradinha,vatapá, churrasco, acompanhado de cachaça, cerveja, vinho e etc... saiba que este ser, vibra com a minha música".

"Agora a pergunta final: onde está este público?
ora, ora... Em todo e qualquer lugar, são milhões. É o povo, em alma e osso. É a Maria, é o Zé, é o Tonho, é o Tião, é a Zabé, é o Chico, é o Mané, é a Cida...
É o povo que diz:
Nois faiz,
Nois trepa,
nois comi
nois mija
nois reza
nois briga, e etc...
E é ele que melhor:
faz
trepa
come
mija
reza
briga
e principalmente o etc...”.


OS ROMANCES FAMOSOS
Waldik teve uma vida agitada, namorou muitas mulheres, mas sempre foi casado. Dentre os romances conhecido do grande público, estão o namoro com a socialite milionária Beki Klabin, e o mais polêmico de todos, com a cantora Claudia Barroso.

WALDA SORIANO FOI A ESPOSA PARA QUEM O CANTOR SEMPRE VOLTAVA. NOS ÚLTIMOS DIAS DE VIDA, FOI ELA QUEM CUIDOU DE WALDIK.




FRASES E OPINIÕES DE WALDIK

Sobre a programação da televisão brasileira:
“Na minha casa não se assiste programas de televisão, porque os programas de televisão no Brasil, os programas da Globo, é uma safadeza que não tem mais tamanho. É mulher traindo marido, marido traindo a mulher, a moça fugindo de casa com o namorado... isso é uma sacanagem”.

“Eu, como governo, proibiria os filmes policiais americanos, porque já estamos saturados de bandidos no Brasil. Os filmes americanos estão ensinando cada vez mais os bandidos a usar uma arma, a traçar um esquema para roubar um banco. Por isto eu digo: O Governo precisa mudar esses caras da censura, certos coronéis que não estão com nada”.

Sobre o presidente Figueiredo:
“Eu acho que o Figueiredo vai mudar essa bagunça, viu? De vagar, mas vai”.

“Eu, falar sobre o Figueiredo, fica meio chato, viu, porque é um homem que é meu amigo há muito tempo. Mas não é por isso não. Eu elogio o Figueiredo como eu elogiei o presidente Geisel muito tempo”.

“Figueiredo, além de ser um homem íntegro, dentro do Governo há muitos anos, que participa desde o governo Juscelino, ele ta por dentro das coisas, viu? Ele sabe das coisas. Além de tudo é um homem sincero. Ele é igual Waldik Soriano: Ou dá ou desce!”.

Sobre o povo brasileiro:


“Acontece que o povo não quer nada. Todo mundo mete o pau no Governo, diz que o custo de vida, não sei o quê!”.

“O governo daqueles paises lá em cima (Oriente Médio) deviam vir aqui no Brasil, e ver que o brasileiro é um povo maravilhoso, é gente... tem gente pobre no Brasil. Mas é gente pobre e feliz, porque não tem ganância. E até passa fome cantando, brincando o carnaval, fazendo festa de São João, e curtindo o futebol”.

Sobre o petróleo:
“É uma safadeza porque eles (os árabes) sabem que o petróleo é a arma e a alma do progresso do mundo. Agora, eu vou morrer de rir na cara desses caras, o dia que o petróleo acabar. Eu quero ver pra onde que eles vão. Eles vão ter que andar é de camelo mesmo, enfrentando o deserto. E o camelo só pode ser movido a água. E a água eles vão ter que importar, pagando o mesmo preço que eles cobraram pelo petróleo. Eu vou morrer de rir”.

Sobre políticos que exploram os alimentos:
“Comida, não deve ser alvo de exploração em lugar nenhum do mundo. Devia haver um acordo entre políticos. Por isso que eu digo, político é safado, só faz besteira. Aqui em Brasília, mil deputados discutindo sobre mil coisas da política, e não discute sobre essas coisas, não resolve o que o povo precisa”.
“Os políticos se preocupam em aumentar, em criar mais pedágios, que encarece os preços dos alimentos. É por isso que o custo de vida está mais caro. Daqui (do Rio de Janeiro) a São Paulo tem quatro pedágios. Isso é uma pouca vergonha!”.
“E os impostos que nós pagamos no país inteiro, num ta no gibi”.
Sobre anistia:
“Meu amigo Figueiredo me desculpe. Petrônio Portela também, que é meu amigo de muito tempo também, lá de Teresina, me desculpe, mas eu acho errado. Eu não perdôo a anistia, não”.

“Eu acho que não deve haver. Ou melhor. Eu concordo com ela, mas não concordo com o direito dos exilados voltar à política no Brasil. Eles deveriam voltar e ser punidos aqui no Brasil”.

Sobre a revolução de 1964:
“Acompanhei muito a revolução de 64, e fui inclusive muito prejudicado, me obrigavam a parar o carro na estrada, me punham metralhadora no peito, me obrigavam a abrir a mala, me atrasavam os shows, etc”.

Sobre livros:
“Eu leio Waldik Soriano. E aconselho todo mundo a ler ‘A vida de Waldik Soriano’, que é o livro que eu lancei o ano passado, e que ensina muita gente a viver”.

“Eu não leio Jorge Amado, porque o que ele escreveu eu já sei de tudo”.

Direitos autorais:
“Essa é que é a maior pouca vergonha que existe! Pelo amor de Deus! Isso eu já mandei mil recados pro Figueiredo”.
“Essa tal de ECAD! Ladrona! Roubando todo mundo aí! Na cara! E eu provo! Pelos shows que eu faço no Brasil e pelo que eu recebo da ECAD”.
“Tem uma meia dúzia que recebe bem pra cachorro! Recebe gordo! Apadrinhados. Eu espero que o Figueiredo tome conhecimento disso, urgente!”.
“Eu falo por milhares de compositores que existem no Brasil e não recebem. O cara faz música de sucesso, é executada e não vêem nada”.
“Se fosse por execução, a viúva do Noel Rosa seria a pessoa a receber mais no Brasil. E ela recebe uma mixaria!”.

Sobre o movimento feminista:
“A mulher já nasceu rapariga, livre pra diabo, entende? Se você liberar um pouco mais, aí... a mulher é inteligente, a mulher brasileira, e não vai entrar nessa não, porque ela sabe que ela sempre foi dona de tudo, o homem é que é escravo da mulher, ela tem tudo... se ela der agora uma de liberal, ela vai ver que perdeu, e vai voltar atrás”.

“Quem procura fazer esses movimentos são as mulheres mais safadas que existem. São as ricas. Que as pobres não sabem nada disso. Elas querem ter um marido, querem ter uma casinha e ajudar o marido. E são felizes assim. As outras querem é chance para cornear o marido rico”.


SOBRE MULHERES
Marta Rocha
“Na época em que ela surgiu, eu era garimpeiro, chofer, era pobre. Se eu fosse cantor naquela época ela seria minha mulher”.

Beki Klabin:
“Como gente, a maior mulher do Brasil”.

ADOLESCÊNCIA:
“Antes de ser cantor, eu dividia o meu tempo entre o garimpo e a criação de gado do meu pai. Eu derrubava touro de mão limpa, na marra. Fazer isso, hoje, eu acho uma estupidez. Mas naquela época... eu tinha agilidade pra tudo. Cansei de dominar cascavel. Eu falava com as cascavéis. As cascavéis não me entendiam, mas reconheciam a minha voz, por isso, eu as dominava. Dominar cobra cascavel era a minha diversão preferida”.

DROGAS:
“Digo sempre que cachaça e mulher não fazem mal a ninguém. O tóxico sim... eu não me canso de combater, de falar em todos os shows que faço por este país afora, mas os homens do governo não tem dado a menor importância. Eles não tem vergonha”.

CRÍTICAS:
“Sou um cara bom de briga, sempre fui, e é como tal que o povo brasileiro me respeita. Também não ligo para as críticas, que são muitas, porque sei que estou com a razão”.


ORIGEM:
“Sou descendentes de gregos e parente de Jesus Cristo”.
“As pessoas pensam que eu sou aquilo que elas vêem na televisão e nas telas de cinema. No cinema, eu sou o caubói que bate e mata. Na vida real eu não sou nada disso, sou um cidadão comum, casado, com filhos, problemas e tudo o mais, só que nunca me senti solitário. Isso é uma questão de querer”.

4 comentários:

Thiago disse...

conto da carta de waldick lá no blog

Edilon R. disse...

Coincidentemente, estava escutando a música "Garçonete! Toque o disco do Waldik", de Maurício Reis, quando li a reportagem sobre a morte de Waldik. Uma grande perda.

Josué, quando você puder pegar as 47 capas de LPs do Waldik é só avisar, ok?

Abraços.
Edilon R.

Joselito disse...

Waldick para mim foi e será o`ÚNICO cafona original... Esteve na minha cidade por várias vezes e nas últimas duas vezes, fez um show agradabilissimo: aproximadamente 5000 pessoas aplaudiram-no. Por um "acidente de percurso" a filmagem não tem imagens boas(2001, mas assim que eu consiga recuperá-las vou enviar aos seus familiares pois nela pode-se ter uma clara noção de como ele era e vai continuar sendo importante para nosso povo humilde que não sabe ler partituras, mas reconhece quem dá emoção ao que canta.

joao disse...

infelizmente perdemos um grande homem,rígido certamente mais de um grande carater.Infelizmente com pouca chance na mídia brasileira.Abraços de Júnior Ubajara - ce

Relembre a estreia de Ricardo Braga e a opiniäo de Roberto Carlos em 28/05/1978

A estreia da cantora Katia em 1978 cantando Tão So

Mate a saudade de Nara Leao cantando Além do Horizonte em 1978

1 em cada 5 Brasileiro preferia o THE FEVERS 26/11/1978

Elizangela canta Pertinho de Você no Fantástico em 1978

Glória Pires e Lauro Corona cantam Joao e Maria

CLA BRASIL E MARINÊS

DOCUMENTÁRIO SOBRE EVALDO BRAGA / 3 PARTES - ASSISTA NA ÍNTEGRA

Web Counters
PopularContacts.com

http://