23 março 2007

GRANDES VENDEDORES DE DISCOS DOS ANOS 70 E 80








UM VÔO APERTADO NOS DISQUINHOS COMPACTOS
Nos dias de hoje, comprar CD’S (originais por favor) ainda é uma maneira de se ouvir música e apreciar uma boa capa, mas segurar com as mãos uma capa de LP ou de um simples compacto, é incomparavelmente o melhor ângulo de se observar uma arte. Não importa se a capa em questão, é de um cantor famoso, importada ou de um singelo conto infantil. Em cada lançamento (no mercado) de discos, nos anos 70 e 80, era possível destacar trabalhos de artistas formidáveis que magnetizavam os olhares dos fãs com suas capas coloridas e fotografias artísticas. Fotógrafos renomados como Frederico Mendes (com centenas de trabalhos publicados no Brasil e no mundo), Ivan Klingen, João Castrioto, Magenta e outros nomes da fotografia, eternizaram seus trabalhos em capas memoráveis.
COMPACTOS, PORÉM ABRANGENTES E ETERNOS
Resolvi escrever sobre o COMPACTO, primeiro por gostar muito e segundo pelo muito que ele representou para as carreiras de inúmeros artistas. O compacto era o produto inicial que as gravadoras apresentavam para o público sobre determinado artista, antes de investir muita grana nos LP’s. Ele podia ser simples ou duplo. No simples o artista apresentava duas músicas, uma do lado A e outra do lado B, enquanto que no duplo, quatro músicas seriam divulgadas por intermédio das rádios, duas do lado A e mais duas do Lado B, ou face, como também era chamado cada lado do compacto. Tinha ainda o single, de baixo custo e com uma única música inserida nos dois lados do disco. Quando os compactos chegavam nas rádios, seguiam direto para as mãos do DJ, que tocava a música até perceber se o ouvinte estava gostando. Era comum uma música se destacar logo de início. A façanha independia do artista ser famoso ou apenas estreante, o que contava mesmo era o apelo popular. Se a música agradasse ao ouvinte de imediato, era dado como certo, a excelente vendagem e a prensagem do LP para os próximos meses subseqüente ao lançamento do compacto. Muitos compactos atingiam marca superior a 500 mil cópias vendidas e não era raro chegar a 1 milhão, como aconteceu com a atriz-cantora Elizângela (RCA). Ela lançou em 1978 o compacto simples com as músicas Pertinho de Você (H. Belardi) e Ele ou Você (Lígia Lane). Da segunda música, ninguém mais lembra, enquanto que Pertinho de Você ganhou as pistas das discotecas, caiu no gosto popular e agradou a Associação dos Produtores de Discos, que entregou para Elizângela o prêmio de vendagem do ano. No ano seguinte foi a vez de Kátia (CBS) fazer o país inteiro canta sua música Lembranças (Roberto e Erasmo Carlos). Desde então a cantora entrou para o rol das cantoras mais queridas do Brasil. Eu já nem me lembro quanto tempo faz / mas eu não te esqueço que te amei demais / e nem mesmo o tempo conseguiu fazer esquecer / você... o lado A venceu o B (Triste Demais – Kátia) e o país ganhou mais uma cantora romântica. Júlio César (RGE) também viu sua música Tu (versão da música Du. De Orlof e Kunze), de 1978, conquistar os ouvintes do país, principalmente do Norte e Nordeste. O compacto com as versões de duas músicas vendeu centenas de milhares de cópias. A balada romântica ficou na memória do povo que até hoje canta: Tu. Que sabes quanto eu te amei / Tu. Que sabes que chorei / Tu. Muito além longe daqui / Tu. Que existes para mim... Ângelo Maximo (BEVERLY), mesmo com a trajetória de sua carreira, iniciada nos tempos da Jovem Guarda, em 1976, ele desbancou muitos artistas em vendagens, com seu compacto duplo. Ângelo já era um galã adorado por milhões de mocinhas desde Domingo Feliz e mais uma vez ele se destacava dos demais artistas lançados naquele ano. O compacto de Ângelo Maximo com as músicas Vem me Fazer Feliz (Juliano Rivas e Ângelo Máximo), Nossos Defeitos (J. Oliveira e Kátia Maria), Vem Dançar Comigo (versão de Rossini Pinto) e Minhas Férias sem Você (Tony Damito). Ainda em 1976, outros dois artistas (citando apenas os ilustrados) desfilaram pelas paradas musicais do país com seus trabalhos. A famosíssima Vanusa (RCA) e o músico-cantor Franco (CONTINENTAL). Vanusa, grande vendedora de discos e muito querida do público, aproveitava o sucesso da novela Duas Vidas (TV Globo) para vender mais cópias do seu compacto simples. A música Paralelas (Belchior) estava inserida na trilha sonora da novela global e puxava as vendagens da cantora no mercado. Além da música do famoso compositor cearense, Vanusa gravou também Congênito (Luiz Melodia). Paralelas foi uma das músicas mais tocadas do ano, lhe rendendo prêmios e dinheiro. Quanto ao cantor Franco, talvez muita gente (com menos de 30 anos) não se lembre ou mesmo não conhece, mas ele é pai do trio KLB. O compacto duplo com as músicas Rock Enredo (São Beto – Voltaire), Copacabana (Luis Vagner – Tom Gomes), Maravilhoso é Sambar (Edil Pacheco – Jair Rodrigues) e Meu Idioma é Samba (Aloísio – Leon). O disco não teve vendagem estratosférica mas revelava mais um sambista na linha de Jorge Benjor. Diana (POLYDOR), na época grande vendedora de discos, gravou em 1975 o compacto duplo intitulado Você Prometeu Voltar... estourou nas rádios e em vendagens. Assim como o disco de Elizângela, que arrebentou em 78, o disco de Diana também superou em vendagens, todos os seus colegas naquele ano, pondo na estante da sua casa mais um troféu, o da Associação dos Produtores de Discos. As músicas Esta Noite a Minha Vida Vai Mudar (Diana e Odair José), Você Prometeu Voltar (Diana), Foi Tudo Culpa do Amor (Diana e Odair José) e Jambalaya (versão de Joper), tocaram nas rádios do país inteiro, confirmando o talento para cantar e vender discos. Hyldon (POLYDOR) é outro cantor que destacou em 1975. O compacto duplo com as músicas Na Sombra de Uma Árvore (Hyldon) As Dores do Mundo (Hyldon) Na rua, na chuva, na fazenda (Hyldon) conhecida como Casinha de Sapê e Sábado e Domingo (Hyldon – Neném) levou o artista ao estrelato. Suas músicas bem arranjadas e com letras bem escritas, tocam até hoje e fazem dele um dos grandes compositores do Brasil. 1971 foi o ano em que a diva Claudia Barroso (CONTINENTAL) esbanjou sucesso. Das quatro musicas incluídas no compacto duplo, todas atingiram o primeiro lugar na parada musical. Quem Mandou Você Errar (Claudia Barroso), Resposta da Carta (Dominguinhos – Anastácia), Você Mudou Demais (Waldik Soriano – Dik Junior) e Quem Foi Você (Waldik Soriano) caíram no gosto do povo e fez o disco ser campeão em vendas. Claudia Barroso sempre vendeu muitos discos, mas o compacto de 1971 foi um marco na carreira da artista mais comentada na década de 70. 1971 também foi o ano em que a Rede Globo pôs todo mundo para cantar a música Um Novo Tempo (Marcos Valle- Nelson Motta – Paulo Sérgio Valle).
OS DEZ ÚLTIMOS ANOS NA COMPANHIA DO DOCE COMPACTO
Fazendo nossa vida mais alegre com os trabalhos marcantes da nova geração (década de 80), os disquinhos compactos deixaram recordações e lembranças eternas. Hoje eles são verdadeiras relíquias na nossa estante, ocupando lugar de destaque (como já foi durante décadas). Os compactos são autênticas testemunhas de um tempo. Alguns destaques dos anos 80 (cito os ilustrados).
Marcos Roberto (COPACABANA) 1980. Sucesso com a música Última Carta (Marcos Roberto e Vicente Dias)
Lílian (RCA) 1980. O Brasil inteiro cantou Vai Voltar (Alessandro – Livi)
Biafra (CBS) 1981. Sucesso com a antológica música Leão Ferido (Dalto – Biafra)
Júlia Graciela (POLYDOR) 1981. Cantando a música Castelhana (Gabino – J. Graciela)
Marcelo (EMI – ODEON) 1981. Estourado no Brasil de ponta aponta com Abre Coração (Marcelo e Jim Capaldi)
Gilliard (RGE) 1982. Maltratando os corações apaixonados com Não Diga Nada (Leonardo)
Rosemary (RCA) 1982. Poucos esqueceram da música Jóia (Roberto e Erasmo Carlos)
Wagner Montes (COPACABANA) 1982. Iniciando como cantor com a música Me Use, Abuse (W. Montes – Neil Bernardes – Moskemberg)
Miss Lene (FERMATA) 1983. Recomeçando com a música Dance (Samaria – Bana)
Marcio Greyck (RCA) 1983. Fenômeno de execução nas rádios de todo o Brasil com a música Reencontro (Nenéo – Ivan Reis)

5 comentários:

Edilon R. disse...

Prezado Josué,

De início, parabéns pela página.

Sou um apreciador da música entitulada "brega" e há alguns anos venho colecionando músicas (em LP, CD, mp3, etc) desta natureza. Gostaria de fazer um pedido a você. Aliás, um pedido e uma pergunta.

Primeiro, a pergunta: quem foi Eraldo Reis, que gravou a música "Todas as Noites"? Tenho essa canção na sua voz e também na de Evaldo Braga. Complementando a pergunta, quem primeiro a gravou e quem a compôs?

Agora, o pedido: gostaria que você postasse algum texto sobre Waldir Ramos. É extremamente raro encontramos informações deste cantor.

Bom, a depender de seu retorno, tenho outras curiosidades que espero serem esclarecidas.

Agradecido desde já.

Edilon R.
(edilonr@netscape.net)

Anônimo disse...

olá, estou louca atrás de músicas da julia graciela, mas não acho para baixar na internet, será q não não sabe onde posso baixar? ou se você vc poderia me mandar...ficaria mtoooo grata
parabéns pelo excelente blog!


hebe;
hebe.veronez@hotmail.com

Matheus Trunk disse...

Oi Josué: excelente blog. E antológico post, porque sou fã de carteirinha do Marcos Roberto, que é um cara pouco falado. A Cláudia Barroso, pra mim é uma das maiores cantoras brasileiras de todos os tempos. Meus parabéns pelo trabalho não preconceituoso e que divulga esses grandes cantores. Estarei sempre por aqui.

Anônimo disse...

ola tudo bem?
eu gosto muito de musicas antigas e estou procurando ha varios dias e nao encontro eu queria muito achar e baixar musicas da diana
mas eu procuro na net só encontro diana rossi e diana krau isso me inrrita muito nao poder encontrar album di diana se alguem tiver e quiser compartilhar ficarei muito agradecido o meu email é luizclaudiotedy@gmail.com
desde ja agradeço a todos.

Marcos Aurélio disse...

Olá estou a procura da musica Abre Coração na voz de Marcelo, e não encontro para baixar, onde posso encontrar esta musica para baixar.
Obrigado.

Marcos Aurélio
menezes_aurelio@hotmail.com

Relembre a estreia de Ricardo Braga e a opiniäo de Roberto Carlos em 28/05/1978

A estreia da cantora Katia em 1978 cantando Tão So

Mate a saudade de Nara Leao cantando Além do Horizonte em 1978

1 em cada 5 Brasileiro preferia o THE FEVERS 26/11/1978

Elizangela canta Pertinho de Você no Fantástico em 1978

Glória Pires e Lauro Corona cantam Joao e Maria

CLA BRASIL E MARINÊS

DOCUMENTÁRIO SOBRE EVALDO BRAGA / 3 PARTES - ASSISTA NA ÍNTEGRA

Web Counters
PopularContacts.com

http://