22 dezembro 2006

ROBERTO CARLOS DUPLAMENTE DETALHADO




Desde 1965, Roberto Carlos tem sido notícia diariamente nas revistas e jornais especializados
Continuando na trilha mais percorrida, a do Roberto Carlos, quero comentar ainda sobre a sua capacidade de gerar notícias sobre si. Que outro artista brasileiro, tem a mesma intensidade de gerar curiosidade a respeito da sua vida e carreira? Roberto é o único. Não podemos esquecer o marco, onde tudo começou. Quando ele liderava o movimento jovem guarda, apresentando o programa dominical com o mesmo nome, na TV Record de São Paulo. Ali nascia o mito. Nasceu o Roberto Carlos cantor, compositor e enigmático. Foram muitos, os suplementos que invariavelmente, dedicaram suas páginas a decifrar o "rei". Poucos conseguiram conversar ou mesmo, arrancar alguma declaração dele. Mesmo assim, lá estava ele nas bancas de jornal, estampando com seu olhar triste, as capas sedutoras, içando os fãs pelo ímã da curiosidade. Depois de consagrado como "ídolo" da música, Roberto raramente se deixa entrevistar. Das centenas de revistas variadas, que compõem os meus arquivos, devo contar com apenas quatro entrevistas dele. Porém, sem exageros, ele é assunto em 90% das revistas, seja em fotos, notinhas ou matérias longas discorrendo sobre sua vida ou carreira.
Por que estou falando sobre isso? Em agosto de 2007, o programa Jovem Guarda vai completar 42 anos da sua estréia. O programa ficou apenas três anos no ar, mas seus acordes ecoam até hoje, inseridos nas "novidades" musicais até então. Por tudo isso e muito mais, Roberto há muito nos deve uma biografia sincera e transparente. Contando tudo que lhe ocorreu nos anos de carreira. Com detalhes, é claro. O título poderia ser Momentos que eu não esqueci.
Enquanto não chega a original, os admiradores se contentam com as biografias não autorizadas. A biografia Roberto Carlos em detalhes, de Paulo César de Araújo, é a primeira (muito boa, mas poucas fotos), mas antes, houve um amigo de Roberto, José Mariano da Silva Filho, que conheceu o cantor no começo da carreira e o ajudou nas peregrinações pelas rádios, convencendo os locutores a tocar o novato Roberto Carlos. Tornou-se amigo do cantor, morou em sua casa, foi seu secretário particular e quando Roberto já estava famoso, foi ungido mordomo. Como mordomo Nichollas Mariano, deu entrevistas para programas de tevê e ilustrou revistas, como a extinta Intervalo. Com tantas aparições na mídia, era reconhecido nas ruas, causando tumulto. Depois de 11 anos trabalhando para o "rei", segundo ele, de graça, foram separados por desentendimentos. Nichollas Mariano, sem saber o que fazer da vida, resolveu escrever e publicar, em 1979, o livro O rei e eu. Minha vida com Roberto Carlos. Noutras palavras, abriu o bico. Roberto recorreu à justiça, proibindo o livro, mas de nada adiantou. Foi publicado, vendeu os primeiros 50 mil exemplares em pouco tempo. Nichollas não fala mal do cantor, apenas revela detalhes particulares da vida profissional e sexual do Roberto. Considerado uma afronta por muitas pessoas, principalmente pelo artista, o livro deu o que falar. Uma curiosidade, é que Nichollas se considera amigo (da onça) de Roberto em quase todo o livro, somente na última página, ele revela que roubou três mil cruzeiros da conta _que tinha duzentos mil cruzeiros_ de Roberto Carlos. Contou com uma autorização reconhecida em cartório, onde Roberto lhe concedia plenos poderes (ele mostra a cópia no livro. De fato ele era poderoso com o que tinha nas mãos). Para se ter uma idéia do valor, calcule a partir do preço do livro, que custava cento e vinte cruzeiros na época do lançamento. É possível encontrar informações do livro de Nichollas, no livro de Paulo César de Araújo. O autor se confessa fã e com certeza tem o livro de Nichollas em sua estante. O livro do mordomo, é uma raridade e vale muito mais pelo sentimento ferido, revelado nas entrelinhas, do que pela qualidade editorial, coisa que o livro não tem. Para entender o poder que envolve o nome de Roberto Carlos, se tratando de revelações íntimas, o livro de Nichollas Mariano, no câmbio negro, chega a valer uma fortuna. E eu aqui, com um exemplar trancado a sete chaves. Nichollas errou no título, poderia ter usado de inteligência e escrever Eu te amo, eu te amo, eu te amo.

7 comentários:

Matheus Trunk disse...

O mais engraçado de tudo é que embora o Roberto diga que não gostou do livro, ele afirmou que não leu o livro todo. E um repórter perguntou pra ele: "Mas Roberto então, você aconselha os seus fãs a não comprar o livro ?" e ele: "Não é isso. Não digo isso". Portanto, o nosso rei, está um pouco perdido certo ? Olha Josué meus sinceros parabéns: Carmen Silva é uma puta duma cantora, tem uma voz extraordinária. Parabéns por todos os posts, estarei sempre por aqui e parabéns pela atualização constante.

Anônimo disse...

Josué,
PARABÉNS!!!!!!!!
Achei seu blog sensacional!
Estava ouvindo algumas músicas da década de 70 e tive curiosidade de saber mais sobre nossa conterrânea Miss Lene (é também sou cearense de Palmácia, mas grande momentos da infância passei na fazenda pedras em Canindé, o que me deixou mais feliz em ver seu blog e saber sua orígem). Também sou um afixionado por música brasileira, sem preconceito, pois tudo é uma questão de espírito, às vezes estou pra Caetano mas outras curto mesmo é Peninha. Fiquei curioso por seu acervo musical, quem sabe um dia possamos trocar algumas músicas.

Um abraço de louvor por seu trabalho.
Continue na luta por nossa cultura popular

Emilio Pacheco disse...

O livro "O Rei e Eu" não é muito difícil de conseguir no portal Estante Virtual. Tem aparecido por preços bem acessíveis, até. Pode ser que agora, com esta polêmica toda, se torne mais raro e mais caro.

Gostei do seu blog, vou olhar com mais calma. Achei bacana o fato de que você divulga INFORMAÇÕES sobre música, mas não MP3. É muito fácil fazer um blog de sucesso com MP3. É mais ou menos como o Mister M, que fez o maior sucesso "entregando" o que não lhe pertencia. O sucesso é garantido, mas o mérito próprio é zero. O meu blog não é temático, mas de vez em quando comento algum disco antigo e raro. Ou a carreira de algum músico esquecido.

Anônimo disse...

Ae galera,

Olha o ebook do 1º Livro proibido do Rei, escrito pelo mordomo Nichollas Mariano, intitulado "O Rei e Eu"... postado aí pra galera, em formato PDF.

http://rapidshare.com/files/138895464/E-BOOK_-_O_Rei_e_Eu_-_Nichollas_Mariano__O_1__Livro_Proibido_do_Mordomo_de_Roberto_Carlos_.pdf.html

RELÍQUIA !!!!! VALE A PENA BAIXAR!

um abraco.

Anônimo disse...

http://rapidshare.com/files/138895464/E-BOOK_-_O_Rei_e_Eu_-_Nichollas_Mariano__O_1__Livro_Proibido_do_Mordomo_de_Roberto_Carlos_.pdf.html

Anônimo disse...

http://rapidshare.com/files/138895464/E-BOOK_-_O_Rei_e_Eu_-
_Nichollas_Mariano__O_1__Livro_Proibido_do_Mordomo_de_
Roberto_Carlos_.pdf.html

Anônimo disse...

http://rapidshare.com/files/138895464/E-BOOK_-_O_Rei_e_Eu_-
_Nichollas_Mariano__O_1__Livro_Proibido_do_Mordomo_de_
Roberto_Carlos_.pdf.html

Relembre a estreia de Ricardo Braga e a opiniäo de Roberto Carlos em 28/05/1978

A estreia da cantora Katia em 1978 cantando Tão So

Mate a saudade de Nara Leao cantando Além do Horizonte em 1978

1 em cada 5 Brasileiro preferia o THE FEVERS 26/11/1978

Elizangela canta Pertinho de Você no Fantástico em 1978

Glória Pires e Lauro Corona cantam Joao e Maria

CLA BRASIL E MARINÊS

DOCUMENTÁRIO SOBRE EVALDO BRAGA / 3 PARTES - ASSISTA NA ÍNTEGRA

Web Counters
PopularContacts.com

http://